Home Os Nossos Bebés Sexualidade na Gravidez
Sexualidade na Gravidez

Quando um casal fica grávido é comum surgirem algumas  dúvidas e muitas  inseguranças sobre diversos temas. No que respeita a algumas matérias, é fácil falar e fazer questões, mas para muitos de nós há assuntos que são desconfortáveis abordar em grupo, por mais informal e agradável que seja o ambiente das aulas de preparação para o nascimento.

A sexualidade na gravidez é um tema que todos os pais desejam ver discutidos mas poucos têm o à vontade de puxar da primeira palavra. Mitos consequentes da malvada anedota do “Gostas? Gostas?” impedem muitos casais de desfrutar da sua sexualidade de forma plena durante a gravidez. Vamos então esclarecer e dismistificar...

 

a)      Alterações hormonais e o sexo

Durante a gravidez a mulher experiencia inúmeras alterações físicas, emocionais e psicológicas, as quais se devem principalmente às alterações dos níveis de hormonas que circulam no seu organismo. Essas variâncias acabam por afectar o desejo de sexo e o próprio prazer que ele provoca.

Tipicamente (não significa que aconteça a todas as grávidas), tende a ocorrer um declínio de interesse pelo sexo no primeiro trimestre de gravidez (principalmente se se verifica um aumento do cansaço ou dos enjoos), seguido de um aumento do interesse no segundo trimestre e outro declínio no terceiro (muitas vezes porque as mães se sentem mal com as mudanças do seu corpo, sentindo que perderem o seu encanto feminino) . No entanto, a sexualidade da mulher pode encontrar-se reforçada, uma vez que as ditas mudanças hormonais provocam uma série de importantes alterações no peito e órgãos genitais.

Um dos efeitos do aumento dos níveis de estrogénio (hormona que circula durante a gravidez) é o aumento do fluxo sanguíneo, em particular na região pélvica, o que provoca uma hipersensibilidade das terminações nervosas de onde resulta uma rápida excitação, assim como um aumento da quantidade do fluxo vaginal, verificando-se ainda um aumento do inchaço de toda a região pélvica (lábios, pregas,...). Desta forma, o orgasmo pode atingir diferentes intensidades e novos picos assim como novos “tempos para descer à terra”.

 

     b)      Pode praticar-se sexo durante a gravidez?

Não se verificando quaisquer razões médicas que impeçam o coito (por exemplo: hemorragias graves, placenta prévia, saco amniótico rompido,...) podem praticar sexo sempre que quiserem e se sentirem confortáveis para o fazer.

Não há qualquer impedimento físico para uma mulher com uma gravidez normal não ter relações sexuais. Além disso, existem benefícios decorrentes dessa prática, uma vez que os espasmos uterinos que acompanham o orgasmo ajudam o útero a preparar-se para a “ginástica” do parto.

 

     c)      Sexo com penetração magoa ou representa algum risco para o bebé?

Não! Durante a gravidez o bebé encontra-se encerrado num saco amniótico que resiste à ruptura, não sendo perfurado pelo pénis ou penetrado pelo esperma. Mesmo sobre grande pressão, o saco amniótico resiste e amortece o bebé contra pressões externas (incluindo o peso do companheiro durante o coito – não sendo aconselhado no entanto sexo “atlético de alta competição”).

No que respeita a infecções, o colo do útero encontra-se mergulhado num muco espesso que impede a entrada de bactérias no útero, por isso, não havendo contra-indicações médicas, é perfeitamente seguro.

 

     d)      Dicas

Com o avanço da gravidez, poderá torna-se necessário proceder a alguns “ajustes técnicos” de forma a tornar a performance confortável.

 Seja meigo e paciente, recorra a diferentes tipos de carícias, afaste o seu peso do estômago e peito da sua companheira, adaptem-se a novas posições recorrendo a almofadas para aumentar o conforto e experimentarem novos ângulos à volta das curvas, não se apressem e principalmente, não tenham medo de experimentar e inovar.

É importante fazer sexo mas principalmente fazer amor, porque implica comunicação, cumplicidade e compreensão. Tenham paciência, explorem e não tenham receio de partilhar o que pensam e sentem sobre o assunto um com o outro e se necessário com um profissional adequado.

 

Preparação Pré-Parto

A melhor forma de preparar a recepção de um bebé no seio de uma nova família é estar bem informado, com o coração cheio de Amor, responsabilidade e conhecimento.
Desfrutar da gravidez e dos preparativos para o nascimento pode ser divertido e gratificante. Venha conhecer as nossas aulas de Preparação para o Nascimento.

Recuperação Pós-Parto

Depois do bebé nascer, é muito importante para a recém-mamã ser acompanhada por um profissional que a ajude a recuperar a sua forma física e o seu bem-estar emocional, de modo saudável, e ao mesmo tempo a ajude a responder a dúvidas e questões que podem surgir relativamente ao seu corpo ou ao bebé.

Massagem do Bebé

Assim que vemos um bebé o nosso primeiro impulso é de lhe sorrir e tocar. Os seus olhinhos brilhantes, a maciez da sua pele e o seu típico cheiro doce de quem nasceu para ser amado provoca em nós sentimentos de afecto inimagináveis. Através da Massagem, da troca de gestos, toques e olhares, o Amor fala e comunica. Venha aprender como...